sábado, 29 de novembro de 2008

Soldado gay é indenizada em R$ 667 mil por assédio sexual

Um tribunal na Grã-Bretanha ordenou que o Ministério da Defesa britânico pague cerca de 187 mil libras esterlinas (o equivalente a R$ 667 mil) a uma soldado lésbica que sofreu assédio sexual por parte de um sargento do sexo masculino em instalações militares em North Yorkshire, no norte da Inglaterra.

Kerry Fletcher, de 32 anos, disse que o sargento e outros colegas do sexo masculino, tentaram destruir sua carreira militar porque ela rejeitou seu assédio.
Em fevereiro, ela notificou a força de que deixaria a Artilharia Real do Exército, depois de dez anos de serviço.

Foi revelado durante o julgamento do caso, em 2007, que um sargento mandou a Fletcher repetidas mensagens de celular, explícitas, buscando sexo. Uma das mensagens dizia: "Olha, eu posso te converter. Você não sabe o que está perdendo."

Em meados deste ano, o Ministério da Defesa ofereceu a Fletcher um pedido de desculpas pela conduta do sargento. Mas ela disse que, como o sargento era respeitado na unidade, sua vida começou a ser dificultada.

"Ficou claro que as autoridades no regimento ficaram do lado dele contra mim", disse ela, que afirmou ter visto sua situação piorar após ter levado o caso à Justiça.

"As autoridades consideraram isto como um ataque direto ao regimento."

O tribunal considerou este "um caso grave de vitimização depois de uma alegação de assédio sexual", concluindo que Fletcher "foi submetida a uma campanha de vitimização por um longo período".

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Venda de ‘bomba’ provoca prisão de bando

Rio - Nove integrantes de uma quadrilha especializada em contrabandear e revender anabolizantes e medicamentos de venda proibida, inclusive falsificados, foram presos ontem por policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Saúde Pública (DRCCSP), na Operação Hércules 2. Outros dois estão foragidos. O grupo comercializava os produtos em academias da Zona Sul e pela Internet.

De acordo com o delegado Marcos Cipriano, os anabolizantes e remédios — principalmente estimulantes sexuais e emagrecedores — vinham ilegalmente de Paraguai, Argentina, Portugal e Espanha. Apontado como o chefe do bando, o empresário José da Silva Grilo, 45, não foi encontrado, e sua principal fornecedora também não. Cristiane Oliveira Brito, 35, seria a responsável pela conexão da quadrilha com a Europa, de onde vinha grande parte dos anabolizantes.

Os produtos eram trazidos por integrantes do bando e até enviados pelos Correios. Entre os presos estão um professor de Educação Física, o dono de uma academia em Itaguaí, um lutador e até um cabo da Marinha. Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão no Rio, Niterói, São Gonçalo, Itaguaí e Cabo Frio.

A Academia JN, em Copacabana, onde trabalha Rogério Augusto Fróes Corrêa, 29 anos, um dos presos, foi vistoriada, mas nada foi encontrado. “Ainda não sabemos quanto eles lucravam com essa prática, mas nas interceptações telefônicas percebemos que a quantidade comercializada era muito grande”, disse Cipriano. O Conselho Regional de Educação Física informou que o Rogério não é habilitado para exercer a função de professor e foi enquadrado por exercício ilegal da profissão.

Listagens com preços cobrados foram apreendidas e mostram que os anabolizantes eram vendidos por valores que variavam de R$ 6 a R$ 180, emagrecedores de R$ 30 a R$ 100 e estimulantes sexuais de R$ 35 a R$ 90.

Um dos principais distribuidores dos produtos, Rogério foi preso em casa, em Copacabana, às 6h. Com ele, os agentes encontraram dois frascos de Poppers, semelhante a cheirinho-da-loló mais potente e que vem sendo consumido em festas rave, segundo o delegado Cipriano. Durante os quatro meses de investigação, a polícia descobriu que cada ampola custava cerca de R$ 100. “Nunca tínhamos ouvido falar nessa droga, que vem da Holanda”, disse.

CÂNCER E PROBLEMAS CARDÍACOS
A nutróloga Tamara Mazaracki explica que anabolizantes são hormônios fortíssimos que demoram a sair do corpo humano. “Há pessoas que pararam de tomar por mais de um ano e os exames de sangue seguem alterados”. Entre os efeitos negativos estão a cardiomegalia (aumento do coração) e o ataque ao fígado. Professor de endocrinologia da Universidade de Campinas, Marcos Tambascia, lembra que remédios para emagrecimento podem causar dependência, aumentam a freqüência cardíaca e agem no sistema nervoso causando irritabilidade, insônia e nervosismo. Ele alerta que, sem prescrição médica, os remédios podem causar parada cardíaca e morte.


CRIME CONTRA A SAÚDE E FORMAÇÃO DE QUADRILHA
Um dos nove presos não faria parte da quadrilha e agia de forma independente. As investigações mostraram que o lutador Carlos Joseph Myamoto, 24 anos, comprava e vendia os anabolizantes e medicamentos em programas de conversa instantânea pela Internet. Os outros presos são o comerciante Rogério Silva de Macedo, 27; Paulo Fernando da Silva Jordão, 46; Bruno de Oliveira Sousa, 28; o dono da academia Genética do Corpo, em Itaguaí, Cristiano Vitor de Sousa, 30; o cabo da Marinha Hélder Melino de Assis, 29; e Wellington dos Santos Pires, 23.
Todos foram autuados por crime contra a saúde pública e formação de quadrilha e podem pegar até 18 anos de prisão. Se a perícia comprovar que os remédios apreendidos são falsificados, os presos também responderão por tráfico.
Em fevereiro, a polícia desencadeou a primeira fase da operação Hércules e prendeu 14 pessoas que praticavam os mesmos crimes. Na época, três farmácias que vendiam remédios falsificados foram fechadas.
Preso ex-personal de ‘rainha’
Ex-personal trainer da rainha de bateria da Mangueira Gracyanne Barbosa, José Antônio de Lima foi preso na Academia Radar, em Copacabana, acusado de revender os produtos contrabandeados e falsificados. Ela diz ter malhado com José Antônio há mais de dois anos, mas garantiu desconhecer que o professor vendesse anabolizantes. “Me surpreendi com a notícia”, disse.
Após a prisão, houve tumulto quando policiais revistavam mochilhas e armários. Um professor se irritou com a presença da imprensa e agrediu cinegrafistas. Ele empurrou os profissionais e depois, deu uma ‘voadora’ (golpe que o agressor atinge a vítima, no ar, com os dois pés) nas costas do cinegrafista Júnior Alves, da TV Globo. Ele também sofreu escoriações no braço.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Disney mostra imagem de primeira princesa negra de seus filmes

EUA - A Disney mostrou mais uma imagem do filme The Princess and the Frog, que marca a estréia de Tiana (Anika Noni Rose), a primeira princesa negra da história dos filmes da empresa.
Feito em animação tradicional, sem tecnologia tridimensional ¿ uma raridade nos dias de hoje -, o filme se passa no bairro francês de Nova Orleans, na época do nascimento do jazz.

The Princess and the Frog é produzido pelos mesmos realizadores de Aladdin e A Pequena Sereia, clássicos absolutos da Disney. A idéia é retomar o clima das produções homônimas do estúdio.

Além de Anika Noni Rose, que faz a voz da protagonista, o elenco de dublagem também conta com Oprah Winfrey, que interpreta Eudora, mãe da princesa.

Avião do Calypso cai e mata dois

Recife - O avião da banda Calypso que caiu no bairro San Martin, em Recife, atingiu pelo menos quatro casas neste domingo. Além destas, outras três residências foram interditadas e os moradores foram retirados pela Defesa Civil. Uma das moradias deverá ser demolida, devido ao comprometimento da estrutura. Duas pessoas morreram no acidente.

Nesta manhã, foi concluída a retirada dos destroços do avião do local. Segundo o depoimento de testemunhas, o piloto realizava manobra de pouso no aeroporto Gilberto Freyre quando tentou arremeter. Contudo, a aeronave perdeu altitude e atingiu as residências.

Em uma das casas, que teve parte do telhado atingido pelo bimotor, estava um casal com duas filhas pequenas, uma de 2 anos e outra de 3 meses. Segundo a dona da casa, Marília, só deu tempo de gritar "o avião está vindo para cá". O casal se jogou por cima das meninas para protegê-las. Ela teve escoriações, enquanto que o marido levou um corte no braço e o bebê um arranhão na testa.

O avião, modelo King Air B200 OSR, saiu de Teresina (PI) com destino à capital pernambucana quando caiu por volta das 11h15 da manhã, na rua Imbituba. Ao todo, dez pessoas estavam a bordo. As possíveis causas para o acidente são a falta de combustível e problemas técnicos nas turbinas. O caso será investigado pelo Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa).

Na hora do acidente, 16 pessoas estavam nas casas, mas apenas três foram feridas atingidas por telhas, tendo apenas cortes leves. Destroços do avião foram arremessados nos quintais e terraços de várias residências. Segundo informações da Aeronáutica, o avião pertence à JC Shows, de propriedade da cantora Joelma e do vocalista e guitarrista Chimbinha, ambos da Banda Calypso. O bimotor estava arrendado à empresa Exclusive Fly e trazia empresários e políticos que voltavam de um evento beneficente ocorrido em Teresina.

Os mortos são o comandante da aeronave, Eurico Pedrosa Neto, 47 anos, e o produtor financeiro da banda Calypso, José Gilberto da Silva, de 46 anos. Os outros passageiros do bimotor foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros para quatro hospitais do Recife. Entre os passageiros estava o deputado federal Eduardo da Fonte. O caso mais preocupante entre os feridos é do empresário Valmir João de Oliveira, que está em estado grave na UTI e aguarda avaliação neurológica.

Pesquisa americana mostra que aumentou o número de personagens gays nas séries

RIO - Advogado bem-sucedido de 35 anos e chef de cozinha bonitinho e desinibido assumem um romance e tudo bem. Duas moças descoladas trocam beijos e carícias e tudo bem. Tudo bem natural. Nas séries americanas, a presença de personagens gays tem crescido nos últimos anos, como atesta uma pesquisa feita pela Gays & Lesbians Alliance Against Defamation (Glaad). Segundo a organização, nesta temporada, 2,6% dos personagens são LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros), contra 1,1% do ano passado. O destaque é para Kevin Walker (Matthew Rhys) que, em "Brothers and sisters" - exibida aqui no Universal Channel -, assume seu amor por Scotty (Luke MacFarlane). Mas também há exemplos em "Ugly Betty", "The L World", "Damages", "Desperate housewives", "Entourage", "House", "Greek", "Dirty sexy money", "ER", "Gossip girl" e "Lipstick jungle", só para ficarmos nas atrações que são exibidas no Brasil. A pesquisa analisou mais de seis mil horas de programação no horário nobre americano, de junho de 2007 a maio de 2008. E não é somente o número de personagens gays que vem crescendo. A outra boa notícia é que a aceitação do público melhora a olhos vistos.


- Quando lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros são retratados de maneira fiel na TV, corações e mentes são transformados. Em 1989, patrocínios do programa "Thirtysomething" foram cancelados depois que foi ao ar uma cena de dois homens compartilhando a cama. Agora, em "Brothers and sisters", Kevin e Scotty se beijam e ninguém fala nada. Avançamos bastante - comemora Neil Giuliano, presidente da Glaad.

" Quando lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros são retratados de maneira fiel na TV, corações e mentes são transformados "

Agora, muita atenção fanático por "Brothers and sisters": se você é do tipo que detesta saber como serão as cenas dos próximos episódios, divulgaremos um spoiler irresistível (pule as próximas linhas se preferir manter o mistério). Kevin e Scotty terminarão juntos a segunda temporada, em um happy end digno de nota. A cena, que já foi ao ar nos Estados Unidos, será exibida no início de 2009 no Brasil.

- Foi histórico. Quando sentei para assistir ao casamento de Kevin e Scotty, fui tocado pela importância do momento. Nunca antes dois personagens principais gays se casaram em rede nacional. Quatro dias depois, a Suprema Corte da Califórnia estendeu o matrimônio a casais gays. É o progresso - diz Giuliano.

Natália Guimarães: 'Gosto de carninhas pra pegar'


Rio - Mais soltinha do que quando era Miss Brasil, Natália Guimarães fez ensaio sensual para a última ‘Vip’ do ano, nas bancas mês que vem. Na entrevista, a namorada de Leandro, do KLB, admite que é chegada a uma barriguinha: “Gosto de carninhas pra pegar. Não acho legal homem que fica tomando coisas para ganhar músculo, que deixa de comer uma comida gostosa por causa do açúcar. E mais, tem que ter cara de macho”.

Saga vampiresca 'Crepúsculo' é o filme mais visto na América do Norte

LOS ANGELES - O filme romântico vampiresco "Crepúsculo" correspondeu às expectativas e rendeu US$ 76 milhões em seu final de semana de estréia no Estados Unidos e Canadá, mesmo sem atores conhecidos e com um orçamento modesto para um blockbuster: US$ 37 milhões. Foi a mais alta bilheteria para uma diretora, no caso Catherine Hardwicke, desde 1998 quando "Impacto profundo", de Mimi Leder, faturou US$ 44,1 milhões.

"Crepúsculo" é versão cinematográfica do primeiro dos quatro livros da escritora Stephenie Meyer que se tornaram uma febre na América do Norte, especialmente entre as adolescentes. Conta a história do vampiro Edward Cullen (Robert Pattinson) apaixonado pela adolescente Bella Swann (Kristen Stewart) mas cobiçada por outro vampiro que deseja drenar seu sangue. O sucesso garante a continuação da história com a produção do longa do segundo filme, "Lua nova", que dependia do desempenho de "Crepúsculo". Pattinson e Kristen estão garantidos para a continuação mas Catherine afirmou que sua participação ainda depende de negociações.

''Quero ter certeza de que vai fazer tudo direito. Não quero que seja algo tipo 'Sexta-feira 13' na base da correria para lançar logo. Quero saber detalhes dos planos deles, " disse ela que tem no currículo os filmes 'Thirteen" e "Lords of dogtown". Ela também disse que espera que o sucesso de "Crepúsculo" inspire outras mulheres a seguirem a carreira de diretora.

Em segundo lugar na bilheteria ficou o novo filme de James Bond "Quantum os solace", campeão da semana passada, com US$ 27,4 milhões e já com US$ 109,5 milhões acumulados na América do Norte e US$ 309,5 milhões no mercado internacional. Em terceiro ficou o longa de animação "Bolt", a história de um cão que é estrela de uma série de ficção e tem a voz feita por John Travolta com US$ 24 milhões. Em quarto outro longa de animação, "Madagascar 2: Escape 2 Africa" com US$ 16 milhões e, em quinto, "Role models" com US$ 7,2 milhões.

sábado, 22 de novembro de 2008

Modelos dos anos 90 voltam a estrelar campanhas, desfiles e páginas de moda

Rio - Elas transformaram o panorama da moda contemporânea. No fim da década de 80, Linda Evangelista, Naomi Campbell, Cindy Crawford, Stephanie Seymour e Christy Turlington foram batizadas de supermodelos, revolucionando fotos, campanhas e passarelas. A filosofia delas foi eternizada pela antológica frase de Linda, que afirmou, na época, não sair da cama por menos de 10 mil dólares. Viraram celebridades instantâneas.

O tempo passou, o planeta fashion girou e produziu outras tops, como Gisele Bündchen. Mas, como a moda é cíclica, não é que elas estão de volta em grande estilo e, pasmem, mais lindas do que nunca?A canadense Linda Evangelista, 43 anos, está na campanha da Prada; a inglesa Naomi Campbell, 38, de Yves Saint Laurent; Claudia Schiffer, 38, fez fotos para a Chanel. As americanas Christy Turlington, 39, Stephanie Seymour, 40, e Cindy Crawford, 42, também têm motivos para comemorar: Christy faz a campanha da marca Escada; Stephanie desfilou para a grife Hermès e Cindy aparece na Vogue francesa deste mês, exibindo um corpo absurdo.

O retorno das tops agrada a estilistas, modelos e fotógrafos. “As mulheres de 40 anos, hoje, estão cada vez mais jovens e no auge. A minha favorita é Linda, que mais parece um manequim”, elogia o estilista André Lima. A primeira top brasileira, Dalma Callado, 50 anos, tem explicação para o fenômeno: “Estamos vivendo tempos de crise, o que gera a necessidade de mostrar mulheres reais”. Para ela, a consumidora de moda não se identifica com meninas de 14 anos.

“Quando vejo uma Glória Maria, que está esplendorosa, ou uma Cindy Crawford, quero saber o que elas fazem. E a verdadeira beleza só se vê depois dos 40. Até então, qualquer um é bonitinho”, dispara. Jornalista da revista ‘L’Officiel’ francesa, Paula Rita Saady concorda. “Elas refletem a verdadeira consumidora das marcas de luxo”, endossa.

Para o fotógrafo Vicente de Paulo, o que conta mesmo é a personalidade. “O que todas elas têm de sobra. E, com toda tecnologia cosmética que existe, dá para consertar o que fica errado”, diz ele, que elege Christy Turlington. “É, além de linda, inteligente”. Similares brasileiras existem, mas são poucas: “Posso citar Luiza Brunet, que está com 46 anos, e voltando a trabalhar. A moda é assim, adora quem se reinventa”.

Caça da FAB intercepta cargueiro britânico no Rio

SÃO PAULO - Um cargueiro britânico que voava do Arquipélago das Malvinas-Falklands rumo à Ilha de Ascensão foi interceptado por um caça da Força Aérea Brasileira (FAB) ontem quando sobrevoava o litoral brasileiro, na altura de Cabo Frio (RJ). O DC-8 carregado com 20 t de carga pretendia pousar no município para reabastecer mas, por uma falha na documentação ou por erro na comunicação, a aeronave foi classificada como invasora. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O jato da FAB que foi responsável pela interceptação foi um supersônico F-5M, do 1º Grupo de Aviação de Caça, da Base Aérea de Santa Cruz, no Rio. O caça demorou apenas sete minutos para chegar ao cargueiro após a ordem. O incidente ocorreu por volta das 15h, segundo informações do jornal, e foi tratado como sigiloso até as 19h50.

O piloto do DC-8 britânico não resistiu à abordagem e o avião foi levado para o terminal militar do Aeroporto Internacional do Galeão, onde teve sua situação regularizada e seguiu viagem, informou a reportagem.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Modelo Karolina Kurkova é eleita a mulher mais sexy do mundo

A modelo tcheca Karolina Kurkova foi eleita a mulher mais sexy do mundo pelo canal E! Entertainment Television, desbancando as atrizes Angelina Jolie e Scarlett Johansson. A top brasileira Gisele Bundchen ficou em 4º lugar.

Kurkova é uma das modelos mais bem pagas do mundo, segundo a revista "Forbes". O E! disse que ela tem "um umbigo misterioso", referindo-se à especulação da mídia sobre seu umbigo incomum e liso.

Em junho deste ano, quando desfilou de biquíni para a grife Água Doce, no São Paulo Fashion Week, Kurkova foi criticada por estar, supostamente, acima do peso.

Em segundo lugar também ficou uma modelo, a israelense Bar Rafaeli, que teria namorado o ator Leonardo Di Caprio. Já Angelina Jolie, que acaba de dar à luz gêmeos, ficou em terceiro, uma posição à frente de Gisele. Adriana Lima, em 6º, foi a outra brasileira no top 10.

"Longe de ser uma lista centrada nos Estados Unidos, você vai encontrar rostos e corpos dos cinco continentes", disse o E! em um comunicado.

Confira a lista das mais sexys do E!:
1. Karolina Kurkova
2. Bar Rafaeli
3. Angelina Jolie
4. Gisele Bundchen
5. Scarlett Johansson
6. Adriana Lima
7. Heidi Klum
8. Penelope Cruz
9. Manuela Arcuri
10. Shakira

'Caso Janet Jackson' pode parar na Suprema Corte

O governo americano pediu à Suprema Corte que imponha uma multa de meio milhão de dólares ao canal CBS pela transmissão que mostra de relance um seio da cantora Janet Jackson em um dos eventos esportivos mais vistos do país.

Em julho passado um tribunal federal da Filadélfia decidiu que o caso não justificava uma multa à CBS, conforme aplicada pela Comissão Federal de Comunicações (FCC).

Segundo a documentação obtida pela AFP, os promotores pedem aos juízes da maior instância judicial que se pronunciem a respeito desse caso de desatou polêmica nos Estados Unidos, onde a nudez na tv aberta é muito mal vista, principalmente pelos anunciantes.

O fato ocorreu em fevereiro de 2004, quando um seio de Jackson ficou descobertos durante um show que antecedem o popular "Superbowl" do futebol americano, transmitido ao vivo pela CBS para 90 milhões de telespectadores.

A intenção do gesto foi muito discutida e a FCC, inundada por mais de 540 mil cartas de protesto, muitas delas de grupos conservadores, decidiu aplicar a multa ao canal por "indecência".

Recife tem campanha gay friendly


RIO - A capital pernambucana se une à lista de destinos 'gay friendly' e aderiu a campanha "Pernambuco simpatiza com você", lançada pelo Recive Convention & Visitors Bureau. Segundo o presidente do Recife CVB e da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), José Otávio Meira Lins, Recife é o principal destino do Nordeste para esta faixa de público, que chega a registrar gastos 30% superiores aos realizados pelos clientes 'hetero'. Com a campanha, se por um lado, o turista poderá identificar mais facilmente o estabelecimento adequado a seu perfil, por outro, os hotéis que aderirem à campanha terão cursos de capacitação para seus funcionários.

- Boa Viagem, Calhetas e Porto de Galinhas estariam entre os principais atrativos para o público GLS no estado e Recife se diferencia pela vida cultural e noturna agitada e pela comunidade gay atuante - acrescenta.

Os estabelecimentos que aderiram à campanha serão identificados com placas na recepção com as cores do arco-íris, símbolo internacional do público GLBTS. Por enquanto, cinco estabelecimentos da capital já aderiram à campanha: os hotéis Cult, na Praia do Pina; Jangadeiro e Hotel des Arts, em Boa Viagem; Pousada do Amparo (Roteiros de Charme) em Olinda e o flat Blue Tree, em Jaboatão dos Guararapes.

Para quem busca ainda um roteiro gay pela cidade vale conferir a Boate Metrópole e o Bar Mustang, no bairro Boa Vista; e o samba da Casa de Bamba, na Torre.
Hotéis terão curso de capacitação gratuita

Segundo Tatiana Menezes, diretora executiva do Recife CVB, os hotéis interessados em aderir à campanha poderão solicitar informações e credenciamento para a cessão de placas através do (81) 3328.8300.

"Estamos convidando os associados para aderirem à campanha. Em 2009, o Convention irá promover capacitação gratuita para os funcionários dos hotéis 'friendly'", ressalta.

Cientistas testam pílula de prevenção à Aids

Cientistas de diferentes partes do mundo estão testando uma terapia preventiva para diminuir o risco de contaminação pelo vírus HIV, causador da Aids, mesmo quando os pacientes têm relações sexuais sem o uso de preservativos, diz um artigo publicado pela revista New Scientist desta semana.

Segundo a revista, o tratamento preventivo, chamado profilaxia pré-exposição (ou PrEP, na sigla em inglês), prevê que os pacientes tomem apenas uma pílula.

O tratamento ainda não teve sua eficácia comprovada por testes clínicos e é receitado por poucos médicos para um número muito pequeno de pessoas.

A New Scientist afirma que "é provável que o medicamento tenha um efeito modesto - talvez reduzindo o risco (de contaminação) para cerca de dois terços".

" Tenho quase certeza de que alguns têm um comportamento de alto risco por terem acesso aos medicamentos "

De acordo com o artigo, os remédios usados na terapia preventiva são o Tenofovir e o Truvada - que contém o mesmo princípio ativo da primeira droga, o tenofovir, e também um outro medicamento chamado emtricitabina.

Esses medicamentos já são usados como tratamento para o HIV, em um tipo de terapia anti-retroviral. Conforme a New Scientist, isso faz com que já exista muita informação a respeito da segurança no uso desses remédios.

A revista diz que esses medicamentos podem estar prontos para o uso em prevenção bem antes do que qualquer vacina contra a Aids.

A terapia preventiva está passando por vários testes, e os primeiros resultados devem ser divulgados já em 2009, diz a New Scientist.

Segundo o artigo, pesquisas com animais sugerem que as duas drogas bloqueiam a infecção pelo HIV, sendo que o Truvada seria um pouco mais eficaz.

O grau de proteção oferecido pelos dois medicamentos depende de alguns fatores, como a dose administrada, mas em alguns casos, diz a revista, o Truvada bloqueou completamente a transmissão da doença.

África
Remédios antivirais funcionam ao suprimir a replicação do vírus e, com isso, paralisar a progressão da contaminação pelo HIV.

Conforme o artigo, a esperança é que, quando usados de maneira preventiva, os medicamentos consigam inibir tão bem a reprodução do vírus que o sistema imunológico possa eliminar o HIV e evitar que a infecção se instale.

A revista afirma que vários testes da terapia PrEP estão ocorrendo, envolvendo um total de 19 mil pessoas em risco - incluindo usuários de drogas injetáveis, homossexuais e mulheres sexualmente ativas em áreas de alta incidência de HIV - em várias partes do mundo.

O primeiro resultado sobre o uso do Tenofovir deve ser divulgado em 2009, e as informações sobre o uso do Truvada como terapia preventiva, em 2010, diz a New Scientist.

Resultados de testes realizados em animais sugerem que os usuários desta terapia não precisarão nem mesmo tomar um comprimido por dia. Um comprimido duas vezes por semana ou nos períodos em que a pessoa mantiver relações sexuais sem proteção poderia funcionar.

"Isto reduz o preço e a toxicidade dos medicamentos", afirmou Mike Youle, diretor do centro de pesquisa em HIV do Royal Free Hospital de Londres, que foi uma das pessoas a fazer o lobby para a realização dos testes da PrEP. "A maioria das pessoas não tem relações sexuais todos os dias."

Críticas
A revista afirma, porém, que a terapia PrEP também atraiu críticas. A principal preocupação de especialistas é que a PrEP leve as pessoas a um falso senso de segurança, encorajando o sexo sem a proteção de preservativos e, paradoxalmente, espalhando ainda mais o vírus.

Marcus Connant, médico americano que luta pelos direitos dos homossexuais e que já receita as drogas para alguns de seus pacientes, admite que alguns deles provavelmente têm mais relações sexuais sem proteção como resultado da terapia.

"Tenho quase certeza de que alguns têm um comportamento de alto risco por terem acesso aos medicamentos. Mas isto não ocorre com todos os pacientes", afirmou.
Outro problema que poderia ocorrer é a resistência que o HIV pode desenvolver ao medicamento.

Muitos temem que alguns usuários da PrEP não saibam que são portadores do HIV. Como a terapia envolve apenas um ou dois medicamentos, o vírus poderia desenvolver resistência a eles.

A resistência é mais incomum para o Tenofovir e o Truvada do que para muitos dos outros medicamentos anti-retrovirais, mas ocorre. Uma solução seria insistir que as pessoas que se submetam à PrEP façam exames de HIV.

Para mais notícias, visite o site da BBC Brasil

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Batalha de craques: Kaká versus Cristiano Ronaldo

Eu sou muito suspeita pra votar. Os dois são lindos, gatos, maravilindos, tudo de bom. Mas como tenho uma queda por pessoas de decendência negra votei no gatíssimo Cristiano Ronaldo.

Seja qual for sua escolha, clique no título desta matéria e vote. Vale a pena ! ! ! ! ! Bjs no coração de vocês.

Modelo destaque no Rio Summer faz campanha para moda praia

O carioca Rodrigo Calazans, revelação na última edição do Rio Summer, foi fotografado por Vicente de Paulo para a campanha da BUTCH 2009, do brasileiro Juliano Corbetta, que faz o maior o sucesso no exterior. O estilista desenha sungas com estampas inspiradas no clima tropical do Rio. Resultado: os gringos amam as sungas e as mulheres, o modelo!
Meninas e amigas... imaginem só tendo um homem deste MA-RA-VI-LHO-SO ao nosso lado... AI, PAPAI ! ! ! ! ! Assim eu tenho um infarte toda manhã quando acordar, rsrsrsrsrs.... Bebê, não se preocupe. É você quem eu kero ao meu lado todos os dias.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Candidata de Cauca é eleita Miss Colômbia 2008

Michelle Rouillard, da província de Cauca, saúda o público depois de ter sido eleita Miss Colômbia 2008 em Cartagena, na noite de segunda-feira (17). (Foto: Reuters)

Parabéns Miss Colômbia.... foi merecido a coroação e a escolha.

Na contramão da moda de seios grandes, mulheres como a atriz Marina Mantega

Rio - Contrariando a tendência das mulheres, a atriz Marina Mantega, filha do ministro da Economia Guido Mantega, abriu mão de sua prótese de silicone para passar de sutiã tamanho 46 para o 38. Ela não é a única: a moda do ‘peitão’ que tomou o País não combina com todo mundo.
Marina reduziu sua prótese de silicone de 265ml para 120ml, como publicou ontem o colunista de O Dia, Bruno Astuto. Ela conta que, em 2004, fez a primeira cirurgia porque queria ter os seios mais arredondados. Mas, um ano depois, eles começaram a perder a firmeza. “Meus seios naturais já correspondiam a uma prótese de 250ml. Ou seja, com silicone fiquei enorme. O cirurgião queria que eu fosse a Pamela Anderson, mas só queria ter peito bonitinho”, lembra, aliviada após a redução.
“Só sabiam que eu era magra se me viam de biquíni. Os homens olhavam primeiro para meus peitos. Agora é diferente: olham primeiro para o meu rosto. Acho que fui na onda do silicone”, reconhece.
Quem também teve que tirar sua prótese, de 190ml, foi a atriz Nathália Rodrigues. A Suelen de ‘Chamas da Vida’, da Record, teve problemas na coluna. Também por questão de saúde, Andressa Soares, a Mulher Melancia, reduziu os seios. “Comecei a sentir dor nas costas. Mesmo gostando de ter seios grandes, eles pesavam muito. Incomodava e eu não encontrava roupa. Agora a medida é proporcional ao meu corpo”, diz ela, que passou de 500ml para 250ml.
Presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, regional Rio, Sérgio Levy explica que uma mulher de 1,58m não pode optar, por exemplo, por prótese de 350ml. “É exagero. Para ter resultado natural, 255ml ou 275ml são ideais. A mulher fica com manequim 44”, explica.
Mas Levy diz que a febre de mulheres que querem ter peitão não passou: “Esses casos são exceção. Mulheres que tinham seios naturais grandes e diminuíram há 10 anos hoje voltam para botar próteses.”
Redução harmoniza silhueta
A atriz Fernanda Nobre sofreu com seus seios naturais, que ela considerava grande demais, e também optou pela redução. “Foi a melhor coisa que fiz. Tenho 1,58m e era muito magra. A redução foi pequena, mas suficiente para dar uma harmonizada com meu corpo”, diz a atriz, que saiu de manequim 44 para 42.
Com 165ml de silicone, a apresentadora Sabrina Sato foi cautelosa para não correr riscos. “Minha prótese é pequena e não colocaria mais. Estou feliz. Aliás, como emagreci e perdi gordura, acho que a prótese já se perdeu aqui dentro e eu hoje estou com o mesmo que tinha antes”, diverte-se. “Acho bacana quem assume seus seios pequenos, como Adriane Galisteu e Juliana Paes.”

domingo, 16 de novembro de 2008

De lingerie, brasileiras arrasam na passarela da Victoria's Secret


MIAMI - O Victoria's Secret Fashion Show é um dos eventos de moda americanos mais esperados do ano. Afinal, além de reunir as modelos mais lindas do mundo ainda traz uma atração musical responsável pela trilha sonora ao vivo. Na noite deste sábado, foi a vez do rapper Usher dividir com as beldades a passarela montada no resort Fontainebleau, em Miami.

Para o Brasil, a edição de 2008 tem um significado a mais, porque marca o retorno de Alessandra Ambrósio a desfiles após dar à luz sua filha Anja Louise, que nasceu em 24 de agosto.

Mas ela não é a única a mostrar a beleza brasileira. Adriana Lima, Izabel Goulart e Isabeli Fontana também exibiram as lingeries pra lá de sexies da grife.







sexta-feira, 14 de novembro de 2008

O preconceito contra efeminados dá as caras. Como combatê-lo?

O relógio marcava 19h e eu esperava mais um rapaz da internet, o "MachoMásculo". Estava apreensivo. Era nosso primeiro encontro "real".
Havia, porém, outro motivo para minha apreensão. MachoMásculo não curtia efeminados de jeito nenhum! Não sou uma flor, mas estou longe de ser exemplo de macheza. Além disso, na minha opinião, perfis assim ou escondem alguém que é efeminado, não se aceita e desconta nos outros; ou quem policia, implacável, qualquer virada de mão. Normalmente, fujo, mas, por obra do acaso, eu e MachoMásculo havíamos nos dado bem.
Ele não demorou a chegar... E não é que, de fato, eu era mais másculo que o Macho? Resolvi fazer dele uma fonte para a pauta de A Capa: preconceito contra efeminados - e ficamos na amizade. Amor e trabalho não se misturam.
Desejo de mulher
Em nossa conversa na cafeteria, MM disse que os gays sofriam mais preconceito por causa dos efeminados: "São escandalosos e forçados. Não dá pra exigir respeito assim". Suas frases reproduziam o que ouvi da boca de muitos gays antes mesmo de produzir esta reportagem. "Sim, eles dão muita bandeira, querendo ser mulheres. Eis o motivo do preconceito", diz o professor e produtor de vídeo Celso Freitas, 39 anos, ao ser perguntado se efeminados contribuem para o preconceito contra gays em geral.
"Na cabeça de muitos, sim", diz o promoter Fran Salles, diante da mesma pergunta. "Muitos querem ser mulheres. Acho que não precisa ser mulher, mas ser autêntico. Para ser afeminado, tem de ser centrado e ter consciência do que é", pondera. O jornalista e sociólogo Ferdinando Martins, 28, também aposta no desejo de ser mulher: "Em geral, indica uma vontade de ser tratado como mulher, que o outro abra a porta, carregue suas coisas, mande flores".
Cultura e sociedade
Até aqui, já é possível traçar algumas afirmações comuns em relação aos efeminados:1. Querem ser mulheres; 2. São escandalosos; 3. "Turbinam" o preconceito contra os gays.
Será tudo verdade? Comecemos pelo primeiro item. Falar de efeminação implica falar de papéis femininos e masculinos - mas será que sempre o efeminado quer "ser mulher"? "Em alguns casos, isso pode acontecer, [mas] não podemos generalizar", diz João Pedrosa, 50, psicólogo analista do comportamento e terapeuta sexual.
O tradutor e coordenador de projetos sociais Lula Ramires, 47, apresenta outra hipótese: "No Brasil, a imagem dos homossexuais está associada a traços considerados femininos. Construiu-se uma trajetória social que os próprios homossexuais assimilaram: quando um menino ou rapaz tem gestos delicados, já se suspeita, ou se decreta, que ele é veado. Uma pessoa que apresente tal comportamento passa a buscar em si própria a confirmação de uma atração pelo mesmo sexo".
"Essa discussão precisa ser entendida a partir da construção sociocultural do que é masculino e feminino", diz o professor, jornalista e ativista gay Julian Rodrigues, 34. "Ao masculino, são atribuídas características como força, voz grave, pouca afetação, expressões que remetam ao universo dos esportes ou da caça às mulheres, etc. O gay começa a fugir do papel tradicional ao ter seu desejo orientado para outros homens - mas não quer dizer que rompa com a construção de gênero do masculino dominante. Nisso, chegamos a outro ponto. Há homens heterossexuais que não têm comportamento ou características típicas do papel masculino tradicional - e eles sofrem preconceito também, ou seja, não basta ser homem. Tem de ser machão, cumprir todo o script"."O que se pode perguntar", continua Julian, "é por que tantos gays são efeminados. Porque fogem do padrão hétero e querem se mostrar diferentes mesmo? Por uma questão identitária? Para se aproximar dos bofes? Essas questões sempre me perseguiram".
"A feminilidade entre os gays pode estar ligada a uma questão cultural", concorda João. "Historicamente, sempre se ligou homossexualidade ao feminino. Isso ocorreu porque quem sempre apareceu foram a travesti e a transexual. O gay masculinizado veio aparecer depois da década de 1970. Ele sempre existiu, mas clandestinamente". No entanto, diz o terapeuta, há ainda uma hipótese biológica: "Estudos científicos indicam que a questão da masculinização e feminilização nos organismos está ligada aos hormônio, e parece que isso é definido na vida intra-uterina. É o caso do gay contido que faz tudo para não dar bandeira, mas não consegue esconder seu jeito feminino de ser".
Fechação com bandeirada
Ora, se o desejo de "ser mulher" não é válido para todos os efeminados, que dirá o escândalo! Começa pela dificuldade em definir quando, afinal, alguém é efeminado. "Parece fácil responder, mas não é. Há diferentes níveis, digamos assim, de efeminação. Talvez, a maior parte de nós, gays, seja efeminada, em diversos graus", diz Julian.
Segundo João, "temos de diferenciar dois tipos de gays efeminados. O primeiro é o caricato com gestos femininos, maneira de se vestir e comunicação própria e exuberante. A maneira desse gay se comportar está ligada a uma questão cultural. O segundo é o gay efeminado contido, que não reproduz a maneira caricata feminina, mas possui gestos próximo dos das mulheres, voz feminina". De toda forma, diz Fran Salles, "ser efeminado não impede ninguém de exercer um papel na sociedade".
Julian vai além: "Politicamente, eles cumprem um papel importantíssimo. São vanguarda, pára-raios, subversivos, corajosos, engraçados, irônicos. São a tropa de choque, a linha de frente da visibilidade gay". O antropólogo e militante gay Luiz Mott, 62, faz uma ressalva: "Embora possa ser considerado revolucionário o comportamento efeminado, andrógino, ele também tem seu lado conservador, à medida que repete e consagra a bipolaridade macho-fêmea. Muitos efeminados não ousam adotar o homoerotismo também no papel de gênero".
Mott, no entanto, defende o direito à efeminação, mesmo quando exuberante: "Tenho ouvido, após palestras em universidades, muitos reclamarem dos gays que não se respeitam, criticando seu espalhafato, exibição. Procuro relativizar, mostrando que também os rastafaris mais exagerados têm direito à sua estética e devem ser respeitados. Obviamente, bichas loucas fazem de sua efeminação estratégia para enfrentar o preconceito, pois todos temem ser vítima de barraqueiras, mas também há um forte componente exibicionista: a única forma de terem seus 15 segundos de glória numa sociedade tão homofóbica e machista".
Preconceitos siameses
Homofobia e machismo, aliás, são também palavras-chave nessa discussão. "É preciso entender que a homofobia é filha do machismo, do sexismo. Os gays são considerados inferiores porque são aproximados das mulheres. São homens que se negaram o papel de homem-machão-heterossexual. O gay sofre preconceito e o efeminado, mais ainda. A travesti, mais ainda. Quanto mais próximo da figura feminina, mais preconceito", diz Julian Rodrigues. Talvez por isso, João Pedrosa acredite que parta dos héteros a maior hostilidade: "É difícil mensurar [...], mas penso que os héteros são mais preconceituosos".
O jornalista Vides Júnior, 37, discorda: "Acho que há mais preconceito entre os próprios gays. É comum ouvir e ler em anúncios: descarto efeminados. O número pode até ser menor, mas a carga que acompanha o preconceito é muito maior". Na verdade, a própria dificuldade de se aceitar gay pode estar por trás disso. "Há gays com dificuldade em aceitar sua homossexualidade, que criticam e não querem a companhia do efeminado porque este pode, de alguma forma, denunciá-los", explica João.
Efeitos colaterais
Fato é que histórias de discriminação se multiplicam. "Já vi diversas pessoas serem discriminadas", conta o jornalista Leonardo Cruz, 35. "Numa seleção para estagiários, tinha um rapaz bem delicado, com a sobrancelha feita, pele lisa, blusinha apertada. Tinha um bom currículo, mas a banca quis eliminá-lo por não ser o padrão para atendimento ao público. Fui o único voto contrário".
A discriminação profissional é bem freqüente. "São muitos os exemplos, desde perseguição no trabalho, perda de emprego e reprovação em seleção. Este último é muito comum nos dias de hoje", diz Pedrosa - mas até um simples passeio pode ser arriscado. "Certa vez, eu estava com um amigo no metrô, efeminadíssimo, e dois rapazes começaram a tirar sarro com ele. Virei bad boy e acabei dando uma surra nos dois", conta Vides Júnior. Esse tratamento deixa seqüelas. "O risco de afetar a auto-estima é o primeiro dos problemas, [além de] maior disposição para envolvimento com álcool ou drogas", diz o médico Murilo Sarno, 33. "Há muitos efeitos colaterais, como sentimento de inferioridade, depressão, isolamento social", complementa Pedrosa.
Para o pesquisador Wallace Navalha, 36, efeminado assumido, as piores lembranças vêm da escola: "Minhas aulas de educação física eram um enxovalho de piadas, apelidos ou xingamentos. Às vezes, era chamado pelo personagem estereotipado televisivo da vez, tipo Capitão Gay, Painho - e por aí vai. Isso sem falar do assédio, que me fez passar toda a adolescência sem entrar num banheiro de escola ou vestiário, por medo de estupro. No colegial, eu não podia visitar uma amiga em outra classe que começavam a me xingar até que eu saísse - e nunca vi um professor se solidarizar comigo".
A referência à mídia é emblemática. O leitor deve ter percebido muitos jornalistas entre os entrevistados. Não é por acaso: perguntamos a eles se a mídia ajuda na manutenção do preconceito. "Certamente. Há teses e dissertações sobre isso", responde Leonardo Cruz. "Principalmente, programas de mau gosto, como A Praça é Nossa, e os humorísticos da Globo. Sem falar dos comerciais de cerveja, que incitam os homens a agirem como caçadores de mulheres, afirmando o tempo todo sua virilidade", opina Vides Júnior.
Masculinos ou femininos?
Dá para concluir que essa história de que os efeminados aumentam o preconceito contra gays não é "bem assim". Via de regra, o preconceito já existe, e o efeminado é apenas a "comissão de frente" - mas será que dá para mudar?
Antes de tudo, é preciso considerar que nem todos têm preconceito contra as "pintosas". Há, inclusive, quem as prefira. "Pelo menos, três amigos meus só namoram rapazes efeminados", conta Murilo Sarno. "Prefiro efeminados para o sexo. São simplesmente deliciosos", admite Vides Júnior.
Depois, é preciso questionar os modelos e os estereótipos que nos são transmitidos desde cedo. "Há décadas, as militantes feministas nos fizeram entender que tudo isso é construção social, que as diferenças entre homens e mulheres resultam da maneira como são criados e tratados pela sociedade. Por que temos de ser masculinos ou femininos, como se fosse uma opção? Sonho com um dia em que essa distinção não terá mais sentido", finaliza Lula Ramires.
* Matéria originalmente publicada na edição #12 da revista A Capa em abril de 2008

‘Que Deus ilumine meus passos na minha recuperação’, diz Fábio Assunção


Em nota oficial divulgada nesta quinta-feira (13) pela assessoria de imprensa da TV Globo, Fábio Assunção oficializou seu afastamento da novela “Negócio da China” alegando motivos de saúde.

Veja o site de ''Negócio da China''
“Em respeito à admiração pessoal e profissional que todos nós da TV Globo temos pelo Fábio Assunção, estamos aproveitando uma mudança na trama de 'Negócio da China' para liberá-lo para cuidar de problemas pessoais. Esperamos que ele volte logo”, afirmou a mensagem da emissora.
Junto com a nota, uma mensagem assinada pelo próprio ator explicava os motivos de sua saída da trama. “Em respeito ao enorme público que acompanha a minha trajetória profissional, aos colegas que tanto prezo e à imprensa, informo que por motivo de saúde, deixo por prazo indeterminado a novela Negócio da China. Meu carinho a todos e meu pedido que respeitem esse momento de luta, preservando minha família.”
No fim, o ator conclui: “Que Deus ilumine meus passos na minha recuperação e com a confiança de que o mais breve possível estarei de volta para esse público que tanto amor me dá”.

Segundo nota publicada no site da jornalista Patricia Kogut, Thiago Lacerda entrará na novela para completar o triângulo amoroso formado por Lívia (Grazi Massafera) e João (Ricardo Pereira).

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Cyndi Lauper chega ao Brasil (antes de Madonna)

Um mês antes da chegada de Madonna ao Brasil, sua concorrente, Cyndi Lauper, faz turnê a partir desta quinta (13) no país. A cantora de "Girls just wanna have fun" - que está de volta à cena com um novo disco de inéditas, "Bring ya to the brink" - se apresenta nos dias 13 e 14 em São Paulo, 15 em Belo Horizonte, 17 em Curitiba, e 20 em Porto Alegre.

Há quem diga que Madonna é a rainha absoluta da música pop, mas Cyndi Lauper tem um currículo que não deixa a desejar, tendo sido convidada, inclusive, para fazer a trilha sonora de 'Goonies', um dos maiores clássicos dos anos 80. Confira a seguir qual das duas artistas vence o duelo de divas.

“Bring ya to the brink” é o 15º disco da carreira de Cyndi Lauper. O álbum traz 12 músicas inéditas – 11 delas compostas pela própria cantora. Neste novo trabalho, destaque para canções como “High and mighty”, que abre o disco com voz sussurrada, e a dançante “Give it up”, com uma batida mais eletrônica.


Sucesso
Cyndi Lauper venceu o Grammy de artista revelação em 1985 e foi indicada por seu trabalho como diretora musical do filme “Os goonies”. Ela vendeu mais de 25 milhões de álbuns no mundo e cerca de 300 mil no Brasil.

Entre os maiores sucessos de sua carreira estão “Time after time”, “True colors” e “Girls just want to have fun”.
Cyndi Lauper em São Paulo
Quando: 13 e 14 de novembro, às 21h30Onde: Via Funchal, R. Funchal, 65, V. Olímpia, tel. (11) 3188-4148 (Call Center)
Quanto: Dia 13: R$ 120 (pista) / R$ 160 (mezanino) / R$ 250 (camarote). Dia 14: de R$ 60 (platéia lateral) a R$ 250 (camarote e platéia vip)

Vírus da Aids desaparece em paciente que sofreu transplante de medula óssea

O vírus da Aids (HIV) se tornou indetectável em um paciente soropositivo com leucemia depois de um transplante de medula óssea, um caso "interessante", mas "isolado", que não deve suscitar falsas esperanças, explicou nesta quarta-feira (12) um hospital de Berlim.

"Trata-se de um caso interessante para a pesquisa", declarou em comunicado o professor Rodolf Tauber. "Entretanto, dar esperanças às pessoas contaminadas pelo HIV não seria sério", ressaltou, mencionando um "caso isolado".

Soropositivo há dez anos, o paciente, um americano de 42 anos que vive em Berlim, teve que se submeter a um transplante de medula óssea para tratar uma leucemia detectada há três anos.
Entre os doadores potenciais, se encontrava uma pessoa portadora de uma mutação genética já conhecida pelos cientistas, mas ainda inexplicada. Esta particularidade, uma mutação do receptor CCR5 do vírus, está presente em 1% a 3% da população européia e parece dar aos indíviduos portadores uma imunidade ao HIV.

A equipe do hematologista berlinense Eckhard Thiel escolheu este doador específico "com a esperança de que depois do transplante da medula óssea, o vírus do HIV também desapareceria".

O paciente, há anos sob tratamento anti-retroviral e que nunca desenvolveu a Aids, interrompeu seu tratamento no momento do transplante, para evitar que os medicamentos provocassem uma rejeição.

"Normalmente, a interrupção dos anti-retrovirais provoca o desenvolvimento da Aids em algumas semanas. Mas até hoje, mais de 20 meses depois do transplante, o HIV continua indetectável neste paciente", afirmou nesta quarta-feira a equipe de Thiel.

"Este procedimento não é adequado ao tratamento de pacientes portadores do HIV, nem hoje nem num futuro próximo", alertou o médico Gero Hütter, um membro da equipe berlinense, durante uma entrevista coletiva.

Marina Lima revela seu romance com Gal Costa, quando tinha 17 anos

Rio - Marina Lima resolveu botar a boca no mundo, em entrevista à revista ‘Joyce Pascowitch’ deste mês. Depois de mais de 30 anos, ela revela que sua primeira relação sexual com uma mulher foi com a cantora Gal Costa, quando ainda era menor de idade, no início dos anos 70.
Na revista, ela ataca ainda o conservadorismo das famílias paulistanas que impedem suas filhas de experimentar sexo com outras mulheres — consta que a cantora, de 53 anos, viu seu namoro com uma jovem daquela cidade ser impedido pelos pais — e da vontade de encontrar um(a) companheiro(a).
“Tinha 16, 17 anos, e ela começou a brincar de sedução comigo. Fiquei em pânico e voltei para os Estados Unidos. Aí, lá fora, vi que queria experimentar, e que a pessoa que eu queria era ela. Voltei para o Brasil... Me aproximei da Gal e acabei transando com ela. Foi muito importante para mim”, conta.
A paixão pela musa tropicalista, 10 anos mais velha, aflorou antes, quando Marina, recém-chegada dos EUA, a viu cantar no programa do Chacrinha. “Fiquei louca pela Gal. Um tio meu da Bahia me levou a um show dela e eu fiquei muito fã. Passaram alguns anos e ouvi falar que Gal era gay.
Foi um choque para mim. Um choque! Eu namorava o Ewaldo (primo de Marina), não estava nem imaginando isso. Aí soube que essa mulher, que era meu grande ídolo, transava com mulher”, lembra na entrevista. Gal foi a primeira cantora a gravar uma música de Marina, ‘Meu Doce Amor’, no LP ‘Caras e Bocas’, de 1977.
Bissexual assumida (“quando procuro um homem é porque quero ser a mulher dele. E eles imaginam que eu vá comê-los”, diz), a autora de ‘Fullgás’ revela que ‘saiu’ com outras colegas de profissão. “Transei com algumas cantoras, mas sem dúvida a Gal foi a mais importante. É a que vale a pena falar. Foi a primeira, né?”
Marina nunca escondeu sua admiração. Em 1996, quando divulgava o disco ‘Registros à Meia-Voz”, afirmou: “Minha maior paixão musical foi Gal Costa. Via os shows da Gal mais de 15, 20 vezes. O show ‘Índia’ (de 1972) eu vi inúmeras vezes, sei o show de trás pra frente”.
Desta vez, a cantora foi além, o que causou discussão entre os fãs sobre a necessidade de trazer à tona o passado. A própria Gal preferiu não se pronunciar: ontem, procurada através de sua empresária, Wilma Petrillo, não retornou as ligações.“Gal sempre tentou preservar sua vida pessoal. Marina se excedeu, foi muito feio o que ela fez”, critica Tony Siuves, dono de uma comunidade dedicada à baiana, no Orkut.
“Legal a entrevista, sincera, corajosa, se expondo mesmo... Mas citar nomes, falar da Gal, depois de tanto tempo, será que ela gostou de ver sua intimidade revelada?, questiona uma das participantes da comunidade ‘Marina Lima. “Cada um tem sua época de abrir a boca e sair falando. Hoje tento me preservar”, diz Angela Rô Rô, que nos anos 80 freqüentava as páginas policiais, por causa das célebres brigas com a então namorada, Zizi Possi “Sempre brinquei em meus shows, mas inventava quase tudo”, despista. Rô Rô diz que Marina namorou outra cantora “fantástica”. “Por que será que ela não falou seu nome? Terá medo de macumba”, ri.
Musa da comunidade GLS paulista, a cantora Laura Finocchiaro é mais irônica. “Marina sempre teve postura de simpatizante, agora resolveu sair do armário com tudo. Vai abalar a música brasileira”, debocha, antes de falar sério: “Acho importante as pessoas assumirem o que são, mas quando envolve o nome de outra pessoa, ela deve ser consultada”.

Lei que reprime discriminação a casais gays deixa cariocas divididos


Rio - A intenção da prefeitura de promover a igualdade entre os sexos está dividindo os cariocas. No primeiro dia de funcionamento do setor criado na Secretaria Municipal de Assistência Social para receber denúncias de discriminação contra homossexuais, um terço dos cariocas que usaram o canal aberto reagiu contra a nova lei que pune o preconceito.

Trinta e três por cento das ligações e dos e-mails recebidos pelo Núcleo de Direitos Humanos foram de pessoas que reprovaram a medida e pediram a revisão do decreto publicado terça-feira. Os outros dois terços foram de cariocas satisfeitos, mas ainda incrédulos, querendo saber se a nova regra está valendo.


“As ligações e e-mails são no campo do medo e da discordância. Recebemos reclamações de pessoas argumentando que não gostariam que seus filhos vissem dois homens se beijando”, contou o secretário de Assistência Social, Marcelo Garcia.


Como foi informado, pelo site O DIA ontem, decreto assinado pelo prefeito Cesar Maia regulamentou lei municipal anti-discriminação, de 1996. Desde ontem, está sujeito a multa de R$ 2.290 e até cassação de alvará o estabelecimento que impedir entrada ou permanência ou oferecer tratamento diferenciado a clientes devido à orientação sexual. Mãos dadas, carícias e beijos gays agora são permitidos. “Sem exageros, assim como se espera de casais heterossexuais”, ressalta Garcia.


O economista Virgílio Rodrigues, 62 anos, nega ser preconceituoso, mas é contra o decreto, que considera um desrespeito à família. Ele acredita que a exposição ao afeto gay pode atrapalhar a formação de crianças. “Abre-se uma exceção para uma minoria. Isso não é normal. O normal é a família”, argumenta, prevendo que vai se retirar com seu neto de um local em que houver namorados homossexuais se acariciando.


As namoradas Tatiana Gaudino Brescia, 23 anos, DJ e produtora de moda, e Renata Benevides, 24, produtora de TV, estão do outro lado da mesma situação. “Quando chegamos para jantar num restaurante no Flamengo, um casal que estava com o filho pequeno saiu. Somos discretas, mas a gente não se priva de olhares e de andar de mãos dadas. Tem pai que acha que isso pode influenciar os filhos”, observa Tatiana.


Presidente do Movimento de Gays, Travestis e Transformistas (MGTT), Loren Alexandre atribui essa crença das famílias à falta de conhecimento. “Gay não vira gay, ele nasce assim. Não temos uma doença contagiosa. Somos bons cabeleireiros, bons maquiadores, costureiros, cozinheiros, bons artistas. Estamos dentro da casa dessas famílias há muitos anos”, salienta.
Loren elogiou o decreto e lembrou situações vexatórias por que passou com amigos e amigas: “Travesti ainda é motivo de chacota e os proprietários de restaurantes ainda dão direito aos funcionários de discriminar. Há algum tempo, num restaurante da Ilha, não deixaram a diretora do movimento, que é travesti, entrar no banheiro. Na hora de pagar, o valor é o mesmo. Quando precisamos usar o sanitário, não podemos”.


REPERCUSSÃO: A TURMA DO CONTRA E A DO A FAVOR
- “Sou completamente contra. Não gostaria que meu filho visse um casal gay se beijando.Como fica a cabeça de uma criança vendo esta cena? Deveriam existir limites, horários determinados.”, Thais Alvim, 24 anos, estudante


- “Concordo plenamente com o decreto assinado pelo prefeito Cesar Maia. Acredito que seja necessário existir uma liberdade total. Sou sempre contra qualquer tipo de preconceito.”, Antônio Gomes, 55 anos, projetista


- “O relacionamento gay não deveria ser permitido, só o de homem e mulher, que é o normal. Para mim isso não existe, sou contra duas pessoas do mesmo sexo se beijando em lugar público.”, Anísio Maia, 57 anos, inspetor de colégio


- “Sou totalmente favorável ao decreto e contra qualquer tipo de preconceito. Mas também acho muito difícil que ele seja cumprido pela sociedade. Isso depende de uma mudança cultural.”, Solange Rodrigues, 50 anos, socióloga

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Denúncias atendidas 24 horas

Rio - Constranger homossexuais, proibir a entrada ou a permanência, fazer atendimento selecionado ou impor pagamento mais caro em hotéis ou motéis poderão resultar em advertência, multa mínima de R$ 2.290, suspensão do funcionamento por 30 dias e cassação de alvará. As sanções previstas na lei são progressivas, conforme a gravidade dos fatos, a capacidade econômica do estabelecimento infrator e possível reincidência.
As reclamações devem ser levadas ao Comitê de Garantia de Direitos da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), 5º andar do Centro Administrativo São Sebastião, no Centro. Também está disponível o e-mail rsalgueiro@pcrj.rj.gov.br e um telefone que receberá ligações a cobrar durante 24 horas (9923- 4291). A SMAS ainda está estruturando um setor para atender só a esses casos. Quando solicitado, o sigilo será garantido. As denúncias devem conter informações para garantir que sejam comprovadas, como, por exemplo, por testemunhas.

Inicialmente, a secretaria fará campanha informativa sobre as novas regras. “Neste fim de semana, vou aos estabelecimentos levando cópias do decreto”, diz o secretário, avisando que é importante entender que o exagero nas demonstrações de afeto tanto entre homossexuais como heterossexuais podem constranger. “Não se pode extrapolar os limites do razoável”.

Rigor contra quem exclui os gays

Rio - Como na música de Lulu Santos, agora toda forma de amor é garantida por lei. A partir de hoje, o estabelecimento carioca que discriminar clientes devido à sua orientação sexual pode ser multado e até ter o alvará de funcionamento cassado. Decreto municipal regulamentando a Lei 2.475, que desde 1996 proibia a discriminação a homossexuais no Rio, foi assinado ontem pelo prefeito Cesar Maia, criando meios para que as denúncias sejam recebidas e haja punição. Além de disque-denúncia 24 horas, existe um e-mail para reclamações.

“A gente pode beijar. Temos o direito à expressão do afeto em cinemas, boates, restaurantes. Não podem mais coibir o afeto entre pessoas do mesmo sexo”, comemorou o secretário Municipal de Assistência Social, Marcelo Garcia, militante gay e titular da pasta que receberá as denúncias.

Apesar de a Lei Orgânica do Município proibir a discriminação a homossexuais e de a Constituição Federal garantir que todos são iguais, na prática o preconceito se impõe em brechas de leis que, sem regulamentação, não detalham as formas de punir infratores.“Quando vou a um restaurante com meu namorado penso mil vezes antes de demonstrar carinho. Já passei pelo constrangimento de ser chamado a atenção pelo gerente. Por que, se minha irmã e meu cunhado podem? Pela primeira vez, sinto que tenho o mesmo direito que minha irmã ao afeto público: beijinho na boca, mãos dados, carícia no cabelo, um abraço. Coisas que até ontem tinha um gerente do restaurante para definir se podia ou não”, diz Garcia.

Coordenador técnico do grupo Arco-Íris, Júlio Moreira, 31 anos, nunca sofreu constrangimento com seu companheiro, o promoter Clayton Monteiro, 28, mas conhece casos de discriminação e admite que, dependendo do local, fica menos à vontade. “Em alguns lugares, a gente primeiro olha como está o clima”, reconhece Júlio.

Presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes do Rio, Alexandre Sampaio elogiou a iniciativa: “Não vi o teor da lei, mas a princípio, o sindicato corrobora qualquer iniciativa contra discriminação por opção sexual, respeitadas as questões de segurança nos hotéis por exemplo”.

LEI FEDERAL DEPENDE DO SENADO

Presidente do grupo Arco-Íris, que defende a causa gay, Claudio Nascimento considera o decreto publicado ontem um avanço importante. “Espero que sirva como exemplo. Existem 118 municípios com leis anti-discriminação, mas sem o órgão para aplicá-las. Então, a lei fica inócua”, observa. O Rio está na vanguarda nacional.

Claudio considera que o decreto terá grande relevância na divulgação de leis antigas e desconhecidas da população.

Na Internet, grupos defensores da causa homossexual, criaram um canal para mobilizar a população contra a homofobia. O site www.naohomofobia.com.br disponibiliza o conteúdo do projeto de lei federal que criminaliza a homofobia e abaixo-assinado online pela validação da norma, que, após aprovação na Câmara de Deputados, aguarda a posição dos senadores.

Ponte sobre o Rio Itacatu vai ligar Roraima à Guiana

A ponte de 230 metros sobre o Rio Itacutu, que vai ligar Roraima à Guiana está próxima de ser concluída. A expectativa é que a obra esteja pronta ainda este ano, embora o comandante do 6º Batalhão de Engenharia e Construção prefira não arriscar uma data para a inauguração. As obras, que começaram em 2003 e foram prorrogadas diversas vezes, foram assumidas pelo Exército no ano passado.

A BR-401, que leva até o rio saindo de Boa Vista, passa pelo lavrado, uma região de vastos campos, muito diferentes do resto da Amazônia. Na fronteira entre Brasil e Guiana, estão as cidades de Bonfim e Lethem.

Bonfim, a brasileira, tem 10.500 moradores, boa parte deles indígenas. Os macuxis se espalham pela região sem se importar com os limites entre os dois países. A outra etnia predominante na região é a wapixana.

Do lado da Guiana, em Lethem, é fácil encontrar brasileiros que emigraram em busca de melhores oportunidades de trabalho. É o caso da comerciante Rosana Morais, que se beneficia dos baixos impostos para importar os eletrônicos asiáticos que vende em sua loja. O estoque cresceu tanto que foi necessário construir um galpão para ampliar a loja.

Com a construção da ponte sobre o Rio Itacutu, Bonfim vai se transformar em área de livre comércio. Aparentemente, os únicos que não estão gostando da idéia são os barqueiros que deixarão de transportar as pessoas que cruzam a fronteira de um lado para ou outro.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Livro infanto-juvenil conta lendas da Amazônia

Nove lendas que correm há centenas de anos no boca-a-boca dos ribeirinhos da Amazônia ganharam vida no livro infanto-juvenil “Cobra grande – Histórias da Amazônia”, recém-lançado em São Paulo pelo escritor inglês Sean Taylor.

Histórias como a da indiazinha que se transformou em mandioca, da onça que pediu para a raposa tomar conta de seus filhotes e do homem que desceu ao fundo do rio para tirar um arpão de um boto foram ouvidas pelo escritor durante três viagens que ele fez pelos afluentes do Amazonas.

Na publicação, colorida e ricamente ilustrada por Fernando Vilela, cada história é intermediada por narrativas de aventuras de Sean Taylor enquanto percorria os rios amazônicos para ouvir contadores de histórias.

“As lendas tratam muito do lado desconhecido, do lado misterioso da floresta. E não são simplesmente histórias, pois as pessoas acreditam nelas, e muitas ficam no limiar entre acreditar e não acreditar”, afirmou o autor em entrevista ao Globo Amazônia.

Taylor conta que ficou surpreso quando visitou a região e descobriu que muitos jovens ainda conhecem lendas antigas. “Na Europa, onde a floresta e a tradição oral não existe mais, as histórias já estão muito mais apagadas. Na Amazônia, elas estão ameaçadas, mas ainda permanecem com os jovens”, explica.

A publicação já foi lançada em inglês, em Londres, e em coreano. “Gostei de ter levado o curupira para a Coréia do Sul”, brinca o autor, que já escreveu outros 20 livros infanto-juvenis.

Festival de cinema em Porto Velho traz 60 curtas sobre meio ambiente

Começa nesta segunda-feira (10), em Porto Velho (RO), a sexta edição do Festcine Amazônia, festival vídeo e de cinema focado no meio ambiente. Sob o lema “A natureza não pode sair de cena”, o evento traz cerca de 60 curta-metragens brasileiros, entre documentários, ficções e animações.
Além da sala oficial, uma mostra paralela levará a sétima arte para escolas, comunidades, um circo e até mesmo um terreiro de candomblé. “Amanhã, por exemplo, teremos uma sessão em Cujubim Grande, a 35 km de Porto Velho”, explica uma das organizadoras do evento, Fernanda Kopanakis. “O festival é totalmente gratuito, em todas as sessões. Nossa proposta é levar o cinema às populações que não têm acesso às salas de exibição”, afirma.
O evento exibe também quatro longas ligados aos problemas ambientais que a região enfrenta. Um deles será o documentário "Sumidouro", do diretor Cris Azzi, que conta a história de duas comunidades que tiveram de ser deslocadas por conta da construção de uma barragem em Minas Gerais. “Como estamos vivendo uma situação muito próxima, achamos a exibição oportuna”, afirma Kopanakis.
Mostra Itinerante
Os filmes que se destacarem durante a mostra vão ganhar um espaço em 2009 no Festcine Amazônia Itinerante, que pretende exibir os filmes em 52 cidades de Rondônia, as capitais dos estados amazônicos e cidades da Colômbia, Peru, Bolívia, Portugal e Cabo Verde.
“Ao longo de 2008 percorremos 33 mil quilômetros, fazendo um intercâmbio cultural com comunidades de outros países que vivem os mesmos problemas que a população brasileira”, relata a organizadora.
As exibições do Festcine Amazônia vão até sexta-feira (14). A programação da mostra pode ser vista no site oficial do evento

Pesquisa revela alto índice de infecção do vírus da AIDS entre doentes mentais

BRASÍLIA - Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) identificou que a infecção por HIV, vírus causador da Aids, entre portadores de transtornos mentais é preocupante. Realizada com 2.238 pacientes de unidades de saúde mental de todo país, a pesquisa revela que 0,80% dos pesquisados são portadores do vírus da AIDS. Entre os adultos da população geral, o índice de infecção é de cerca de 0,61%.

Para o coordenador da pesquisa, Mark Drew Guimarães, o resultado está relacionado, provavelmente a questões comportamentais. Somente 7% dos pesquisados revelaram fazer uso freqüente de preservativo, mas a maioria tem vida sexual ativa. Em pesquisa realizada em 2005, segundo o Ministério da Saúde, entre casais adultos, 33% revelaram usar freqüentemente o preservativo.

Uma das recomendações da pesquisa é aumentar o acesso dos pacientes aos exames e diagnóstico do vírus da AIDS, já que apenas 27% dos pesquisados haviam feito o teste antes do levantamento. Outra recomendação é que os centros de saúde mental desenvolvam programa de educação em saúde sexual voltados para a prevenção. Entre os pesquisados, 62, 6% são separados ou solteiros.

A pesquisa foi financiada pelo programa Nacional de DST/AIDS e pela coordenação geral de saúde mental do Ministério da Saúde.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Nicole Kidman viverá transexual em filme


A atriz Nicole Kidman interpretará em "The Danish Girl" ( A Garota Dinamarquesa) a primeira transexual pós-operada do mundo. No longa, baseado na história real das artistas dinamarquesas Einar e Greta Wegener, Nicole será casada com a personagem vivida por Charlize Theron.
Quando os retratos do casal se tornam conhecidos em Copenhagem, Greta (Theron) convence seu marido a adotar a aparência feminina. Einar (Kidman) aos poucos vai se transformando e, em 1931, choca o mundo com seu novo corpo.
O casamento das artistas toma outro rumo após Einar se interessar por uma modelo que Greta fará uma pintura.
Além da produção de "The Danish Girl', que será dirigida por Anand Tucker, a atriz Nicole Kidman já foi cotada para mais um longa que envolve a homossexualidade. Se aceitar o trabalho, a atriz interpretará a cantora inglesa e bissexual Dusty Springfiel, que morreu de câncer em 1999.

Muito charme na praia


Rio - O verão ainda nem chegou e a temperatura nas praias cariocas não pára de subir. Biquínis com novas modelagens e adereços mil invadem a areia, grande passarela da estação e dão a medida do que vai fazer sucesso nesta temporada.

No Posto 9 de Ipanema, no Baixo Leblon ou no Pepê da Barra, não importa: “Deu sol? Praia!”, diz a administradora de empresas Anisse Chaaya. Ela gosta de se produzir de acordo com a moda e já acompanha a nova tendência. “Tenho visto muita gente usar tomara-que-caia, então resolvi trocar meu cortininha. Adoro o modelo”, comenta ela, exibindo o seu Lenny Niemeyer.

Anisse não é a única a querer ficar linda também na areia. A estilista Elivana Alves, da Ki-Korpo, também observa o movimento. “Antes, as mulheres colocavam uma roupinha simples para ir à praia. Agora, elas querem produção completa e procuram peças diferentes, que possam ser usadas depois, num restaurante ou na noite”, explica.

CHAPÉUS EM EVIDÊNCIA
Bata branca, chinelos de dedo, bolsa à tira colo, maxióculos e chapeú. Essa é a produção perfeita para o verão da maquiadora Alessandra Grochko. “A aposta para 2009 é o chapéu. Não largo o meu. Além de proteger, é supercharmoso”, afirma. Desde a temporada passada, o acessório vem ganhando espaço, e nesta estação, promete conquistar de vez o público feminino. Para a alegria de Mauro Macedo, vendedor ambulante de chapéus há 12 anos: “Se as mulheres estão gostando, com certeza as vendas serão melhores”, estima ele, que num dia de sol quente, chega a vender 20 peças. “O que mais tem saído é o de palha. Está todo mundo querendo”, completa, revelando outra tendência.

No fim de semana, o Rio Summer destacou o que as marcas prepararam para o verão. Nos desfiles, muito branco, azul, roxo, coral, bege e terrosos coloriram os maiôs e biquínis, ora superlargos, revelando pouco as partes do corpo, ora bem pequenos, realçando a beleza feminina.

domingo, 9 de novembro de 2008

Mineira conquista o quarto lugar no concurso 'Miss Terra 2008'

A mineira Tatiane Alves, de 24 anos, natural de Conselheiro Lafaiete, conquistou o quarto lugar no concurso de beleza Miss Terra 2008, realizado no Clark Expo da cidade de Angeles, nas Filipinas. A mineira, que trabalha como modelo desde os 13 anos, foi coroada a "Miss Fogo".

A vencedora do concurso de beleza foi a filipina Karla Paula Henry, de 22 anos, que recebeu o título “Miss Terra”. O segundo lugar, o da “Miss Água”, ficou para a mexicana Abigail Elizalde Romo, de 23 anos. Já a representante da Tanzânia, Miriam Odemba, de 25 anos, ficou em terceiro lugar e é a nova “Miss Ar”.

Como o tema do concurso foi o “estilo de vida ‘verde’”, para ressaltar a importância da preservação do meio-ambiente, o presidente eleito dos Estados Unidos acabou tendo destaque no evento: as quatro finalistas precisaram explicar ao júri as medidas que pediriam a Barack Obama para acabar com a deterioração da natureza.

A resposta da filipina conquistou o júri e o público, formado majoritariamente por crianças e jovens, e que, durante todo o evento, não parou de incentivar e torcer pela compatriota. "O senhor Obama, se quer que o povo compreenda o que é a mudança climática e o aquecimento global e que solucione" o problema, deveria acrescentar "ao sistema de ensino (...) uma disciplina obrigatória sobre o meio ambiente", respondeu Karla Paula ao ser perguntada sobre o que proporia ao presidente eleito dos EUA.
A candidata mexicana, Abigail Elizalde Romo, teve dificuldades para se expressar em inglês e não soube transmitir profundidade à mensagem ao júri e ao público. A tanzaniana Miriam Obdema era a favorita de muitos dos que acompanhavam o concurso, mas acabou conquistando o segundo lugar.
O Miss Terra tem a finalidade de premiar a mais bela entre as mulheres e divulgar a defesa do meio-ambiente.

Quando ciúme vira doença

Rio - Há quem garanta que, na medida certa, ajuda a ‘apimentar’ a relação. Segundo alguns casais, o ciúme estimularia os amantes a analisar o relacionamento, rever conceitos e valorizar mais o parceiro. Os especialistas discordam. Para eles, o melhor tempero é o zelo, sentimento altruísta de quem se dedica à pessoa amada. Não é à toa que as duas palavras, zelo e ciúme, derivam do mesmo radical latino: ‘zelumen’.

Segundo o psiquiatra Eduardo Ferreira-Santos, ciúme é tudo, menos “prova de amor”, como supõem alguns ciumentos. Para o autor de “Ciúme — O Medo da Perda” e “Ciúme — O Lado Amargo do Amor”, o sentimento está mais associado a posse e propriedade do que ao amor propriamente dito. Em altas doses, causa aperto no coração, boca seca e falta de apetite.

“Sentir ciúme é como sentir dor. Ninguém gosta, mas é sinal de que algo está errado. O ciúme tende a causar dor tanto em quem sente quanto em quem é alvo dele. Alguns gostam de repetir que ‘fulano é a minha vida’ ou que ‘não conseguiria viver sem beltrano’. Poeticamente, é lindo. Mas, psicologicamente falando, pode ser perigoso”, alerta.

O grau mais perigoso do ciúme, ressalva o psicólogo Thiago de Almeida, é quando ele se torna patológico. Na literatura médica, o ciúme doentio é descrito como ‘Síndrome de Otelo’, em alusão à peça “Otelo, o Mouro de Veneza”, de William Shakespeare. Nela, o protagonista chega a matar a doce e fiel Desdêmona, sua esposa, certo de que ela o traía com um de seus asseclas.

“O ciúme pode ser percebido desde um simples gesto de mão no ombro até casos de violência física. Os casais devem estar atentos à freqüência e à intensidade das crises. Há casos em que o parceiro começa a cercear, monitorar e hostilizar o outro por causa de um rival imaginário”, afirma Thiago, acrescentando que o tratamento varia de psicoterapia a medicamentos.

O ciúme de Ana Maria, 50, chegou ao ponto de ela agredir o namorado. Após discussão, o homem voltou para sua casa e Ana resolveu segui-lo. Desconfiada, deu plantão na porta da casa dele. “Quando ele saiu para trabalhar, entrei dando socos e pontapés. Naquele dia, pensei: tomo uma atitude ou enlouqueço”, lembra. A atitude que ela tomou foi a de entrar para o Mulheres que Amam Demais (MADA). “Foi um salva-vidas”, resume.

DIÁLOGO: ‘MEDICAMENTO’ EFICAZ
Um estudo da Universidade de Michigan (EUA), feito com 7.500 voluntários, revelou que 60% dos homens se irritam quando imaginam a mulher na cama com outro. Já 83% das mulheres não suportam a idéia de o parceiro se envolver emocionalmente com outra.

Segundo estimativa do sexólogo Amaury Mendes Júnior, a proporção é de três homens ciumentos para cada mulher enciumada: “O ciumento é um chato por natureza. Tão chato que, às vezes, acaba convencendo o outro a trai-lo. Quando isso acontece, diz: ‘Viu? Não disse que você estava me traindo?’”.

O mecânico de empilhadeira Sandro Barbosa, 32, já teve os seus dias de Otelo. Ciumento, chegou a achar que a mulher, a secretária Simone Malafaia, 35, estava indo “muito arrumada” para o trabalho. Um dia, resolveu segui-la e esperar pelo fim do expediente. “Nunca tive motivo para desconfiar dela. Foi ignorância minha”, admite.

Simone, por sua vez, não esquece do dia em que flagrou o marido bisbilhotando a sua bolsa e monitorando as chamadas do seu celular. “Já pensamos em nos separar várias vezes. Se não houver diálogo, não há relação que vá para frente”, ensina.

Portabilidade chegará a mais oito milhões de pessoas nesta segunda

BRASÍLIA - A partir desta segunda-feira, mais oito milhões de usuários de telefonia fixa e móvel, de cinco regiões do país, poderão trocar de operadora sem precisar mudar o número do telefone. No total, a portabilidade numérica, que começou a ser implantada no início de setembro, estará disponível para 28,2 milhões de assinantes.

Na terceira etapa do calendário de implantação da portabilidade, que começa amanhã, os clientes que poderão solicitar a portabilidade são os atendidos pelos DDDs 44, (Paraná), 49 (Santa Catarina), 84 (Rio Grande do Norte), 33 e 38 (Minas Gerais).

De acordo com o cronograma estabelecido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), até o final de novembro, a portabilidade estará disponível para 48,9 milhões de usuários. Até março do ano que vem, todos os usuários de telefonia do país estarão atendidos pelo novo serviço.

De acordo com a ABR Telecom, entidade administradora da portabilidade numérica no Brasil, desde o início do sistema, foram efetivadas 36,6 mil transferências de operadora com a manutenção do número do telefone. Desse total, 20,8 mil trocas foram de usuários de telefonia móvel e 15,7 mil, de telefonia fixa.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Os Simpsons são acusados de homofobia por ONG americana

A Gay, Lesbian and Straight Education Network, GLSEN, organização não governamental norte americana com sedes em Nova York e Washington, DC, está processando o canal de televisão Fox por divulgar mensagens homofóbicas no seriado Os Simpsons.
Os Simpsons é um dos mais antigos programas ainda em exibição na história da TV e, em geral, bastante aberto para temas relacionados à diversidade sexual, tendo até apresentado um episódio no qual o casamento entre pessoas o mesmo sexo foi legalizado na cidade de Springfield, onde acontecem as histórias do seriado.
A GLSEN, no entanto, alega que no dia 31 de outubro, em um especial para o Halloween, a palavra "gay" foi utilizada em Os Simpsons para significar "mau" ou "lixo". No episódio, o personagem Nelson Muntz, em cena na escola onde estuda, justifica uma agressão a seu colega Milhouse Van Houten alegando que "é muito gay".
Para a ONG, "o uso negativo que Nelson fez da expressão 'é muito gay' não é uma surpresa, considerando que 90% dos jovens LGBT dizem que ouvem essa frase usada dessa mesma maneira com freqüência na escola". A GLSEN pede aos produtores que não mais utilizem diálogos com esse teor e que Nelson, em uma aparição futura, peça desculpas a Milhouse e explique porque agiu errado.

Desfiles do Rio Summer exibem biquínis que vão vestir a mulher carioca

Rio - O primeiro dia de desfiles do Claro Rio Summer — evento de moda-praia idealizado pelo publicitário Nizan Guanaes, no Forte de Copacabana — exaltou a beleza da mulher brasileira, em tarde que alternou sol e chuva.

Um dos destaques foi a top Emanuela de Paula, que entrou na passarela da Salinas e se prepara para desfilar pela primeira vez para a grife de lingerie Victoria’s Secret. “Não durmo, não como, não faço nada, só espero”, contou ela,que participa do desfile milionário dia 15, em Miami.

TV O Dia: Veja entrevista de Emanuela de Paula

A maratona do Rio Summer começou com Carlos Miele, que deu sorte: ocupou a área externa com tempo bom. A coleção, embalada pelos músicos do AfroReggae, misturou meninas e meninos e foi aprovada pela top russa Natália Voadinova. “Adorei as roupas e principalmente a música. Poderiam tocar em qualquer lugar do mundo”, disse Natália. “A idéia foi misturar funk, como ‘Glamourosa’, percussão africana e batida eletrônica”, explicou José Junior, do AfroReggae.

Em seguida, foi a vez de a Blue Man de David Azulay estrear a passarela convencional do evento. A estrela foi Fernanda Tavares. Sobre antiga polêmica da celulite (ela foi criticada em 2002 por ter celulite no bumbum), a modelo mostrou maturidade: “Não esperem uma mulher perfeita. Eu me sinto superbem com meu corpo, mas não tenho a bunda mais perfeita do mundo. E não vim para mostrar a bunda, e sim biquínis”, disse ela, que desfilou de maiô. A modelo Eliza Joenk, ex-namorada do ator Dado Dollabela, também desfilou. “Não falo sobre a briga do Dado com Luana (Piovani). Me tira dessa baixaria.”

Depois, foi a vez de a Salinas mostrar o que a carioca tem. A chuva já caía fora da tenda azul, mas para a estilista Jacqueline de Biase o sol sempre brilha. Na passarela, tops como Michele Alves e Carol Francischini exibiam modelos fofos e colares feitos com palitos e colherzinhas de sorvete.

Fernanda Tavares dá show pela Blue Man

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

"Os gays me protegeram no começo da carreira", diz Kylie Minogue

As vésperas do show em São Paulo, que acontece no próximo sábado (08/11) no Credicard Hall, a diva do pop Kylie Minogue afirmou em entrevista ao jornal Folha de São Paulo que "se tornou ídolo da comunidade gay por sua extravagância".

"No início da minha carreira, não tinha muito respeito da crítica e de outros artistas. Naquela época, os gays me adotaram e me protegeram. Foi importante para mim", disse.

Outro fator que relaciona os gays a cantora é a sua história de superação. "Ela sente o que o gay sente: ou ele sucumbe ao mundo e engorda, ou dá a volta por cima e vira o máximo", disse Cláudio Picazio, um dos fãs gays da diva em entrevista à Folha.

Kylie venceu o câncer e deu a volta por cima com o lançamento do CD 'X' este ano. "Minha vida mudou muito, não dá para ser a mesma pessoa depois de uma experiência dessa. Tive tempo suficiente para refletir se queria continuar com meu trabalho. Mas ser uma cantora é o que eu gosto de fazer".

Durante o show, ela troca de roupa 8 vezes e muitos dos músicos e dançarinos que a acompanham aparecem só de cueca. Nos palcos, Kylie recria o ambiente dos clubes gays.